2017 - Volume 65

April
January

2016 - Volume 64

October
July
April
January

2015 - Volume 63

October
July
April
January
Home arrow Archives Index arrow July 1999 arrow July 1999 - Portuguese
July 1999 - Portuguese PDF Print E-mail


The International Journal of Clinical and Experimental Hypnosis
Volume 47, Number 3 - July 1999 - Portuguese

 

Sugest‹o hipn—tica e p—s hipn—tica: encontrando um significado na mensagem do hipnotista.
Amanda J. Barnier e Kevin M. McCoukey

Resumo: Uma pergunta foi feita ˆ indiv’duos altamente hipnotiz‡veis antes, durante e ap—s hipnose e foi dada uma sugest‹o antes, durante e ap—s hipnose para friccionar o lobo da orelha quando lhe fosse feita aquela pergunta. Desta maneira, o experimento estabeleceu uma pergunta que requeria uma resposta verbal em contraste com uma sugest‹o que somente algumas vezes solicita uma resposta comportamental. Provavelmente, as respostas seriam mais comportamentais quando a pergunta estivesse associada ˆ sugest‹o, mas mais provavelmente a resposta seria verbal quando a pergunta fosse uma interać‹o social; além disso, a probabilidade de responder comportamental e/ou verbalmente modificou-se nos testes conforme a mudanća da mensagem do hipnotista. Estes achados ressaltam a tentativa dos indiv’duos hipnotizados em interpretar as comunicać›es do hipnotista bem como sua habilidade em solucionar ambigŸidades daquelas mensagens de uma maneira que promovam seu comportamento e experiźncia hipn—tica.

 

O uso criativo de respostas inesperadas na hipnoterapia de pacientes com desordens de convers‹o.
Franny C. Moene e Kees A.L. Hoogduin

Resumo: Em um completo estudo emp’rico anterior, no qual se examinou o uso da hipnose em um abrangente programa de tratamento de 85 pacientes que sofriam de sintomas de convers‹o motora, 16 pacientes foram encaminhados por seu terapeuta por terem apresentado respostas n‹o usuais e inesperadas durante hipnose. Este artigo faz um resumo da literatura relacionada ˆ ocorrźncia de fen™menos n‹o esperados durante hipnose e apresenta exemplos em um estudo de hist—ria de convers‹o. O artigo ilustra estas ocorrźncias e seu manejo através de 6 breves descrić›es clinicas e conclui que por mais surpreendentes e n‹o usuais sejam essas respostas ˆ hipnose, elas podem ser uma oportunidade para o paciente desenvolver e aumentar seu entendimento e controle sobre seus sintomas.

 

Normas finais para Escala de Grupo Harvard de Sugestibilidade Hipn—tica, forma A (HGSHS:A).
Sakari P. I. Kallio e Mikko J. Ihamuotila

Resumo: As normas finais da Escala de Grupo Harvard de Sugestibilidade Hipn—tica, forma A (HGSHS:A) de Shor e Orne (1962) é apresentada. A amostra de 285 indiv’duos consistiu de 3 grupos (N=129, N=116 e N=40) os quais foram testados em 1996 e 1997. Esta amostra é comparada com a amostra normativa dos estudantes de Harvard (amostra americana); com a amostra australiana; e com 3 vers›es traduzidas, as adaptać›es dinamarquesa, alem‹ e espanhola da HGSHS:A . Na amostra final os itens 2 (fechamento dos olhos), 11 (sugest‹o p—s-hipn—tica) e 12 (amnésia), tiveram altas percentagens de execuć‹o em comparać‹o com os dados de referźncia, mas de modo geral os dados normativos finais foram congruentes com estes ’ndices de estudo.

 

A Escala de Grupo Harvard de Sugestibilidade Hipn—tica e instrumentos relacionados : administrać‹o individual e em grupo.
Frank Angelini,V.K.Kumar e Louis Chandler

Resumo: A Escala de Grupo de Harvard de Sugestibilidade Hipn—tica, forma A; Escala de Absorć‹o de Tellegem (TAS); Escala de Experiźncia Dissociativa (DES) e Inventario Fenomenol—gico da Consciźncia (PCI), foram administrados tanto individualmente como em grupo. Oitenta estudantes do curso de pré-graduać‹o "Introduć‹o ˆ Psicologia" foram aleatoriamente designados para uma das duas condić›es de administrać‹o com 40 estudantes cada modalidade. Ainda que houvesse uma tendźncia geral de dificuldade nos n’veis dos itens nas duas condić›es de administrać‹o, uma variedade de resultados (caracter’sticas descritivas, fidedignidade e validade) apontam para a similaridade das respostas comportamental e subjetiva ˆ hipnose nas duas condić›es. A TAS, DES e PCI também produziram resultados similares em ambas as condić›es de administrać‹o 

 
trymax ÍůūŮŻ ŗŪ„ŽŤťŮÍÓ„Ó ˇÁŻÍŗ ‚ žÓŮÍ‚Ś